terça-feira, 7 de março de 2017

Como diria Aretta Franklyn: Respect!

Sei que não sou a pessoa mais fácil do mundo de se lidar, mas também não acho que seja a pior. Sei que tenho muitas limitações e pensamentos erráticos, mas nada disso desculpa a falta de respeito comigo.

Acho que se alguém não gosta de mim deveria me tratar friamente a todo momento, não dando indícios de que me acha legal, não adianta fingir, uma hora a coisa explode e dessa vez explodiu na minha família.
Percebi, finalmente, que não devo levar tão a sério a maioria dos meus parentes. Levava muitos a sério e os considerava até o momento que cai na real. Vi que realmente eu não faço tanto a cabeça deles. Quer dizer, eu não sou tão querida quanto queria e nem vou ser. É uma coisa que tentava mudar a todo custo, mas o que adianta? Me esforço tanto e nada. Nenhum agradecimento, nenhuma gratidão, nenhum sorriso fraternal ou amigável. Nada, nada, nada. Somente frieza, crueldade e uma porção bem dosada de perversidade em me fazer sofrer.

Sofria porque estava pensando como minha mãe: deixa pra lá se fizeram desfeita comigo, imagina, vou continuar legal com eles, são minha família! 
E ia levando tudo isso mais pela minha mãe do que por mim e agora que adoeci começo a perceber melhor que não posso ficar sendo capacho, se minha mãe aceita esse papel eu não posso mais aceitar. Não pretendo mais levar eles a sério e muito menos os ver: não me fazem falta e toda vez que os encontro eu levo uma direta do tipo "você não tem marido, você não tem filhos, você não tem dinheiro, você não  tem carro, você não tem nada que possa nos agradar". Eu não tenho status.
Se não tenho status e não ligo para isso não vou mesmo ser aceita, nada do que fizer será bem visto e, também, porque fazer algo para ser bem vista? Não vou ser nunca!

Não vou mais sofrer por ouvir humilhações, não vou mais sofrer por me sentir deslocada, não vou mais sofrer por não fazer o bastante. Não vou mais sofrer por eles.
Eles não sofrem por mim ou pior: eles não dão a mínima para a minha existência!
Eles não tem respeito por mim, nenhuma preocupação comigo, nada, absolutamente nada. 
Parece que eu só sou um ser que invade uma festa e a todos incomoda.
Não vou mais incomodar ninguém e assim não ser mais incomodada com o desprezo de todos.
Serei livre, finalmente, livre!

A Little Respect to me!

Um comentário:

  1. Quando você se respeita, o mundo passa a te respeitar. Você sempre deve estar em primeiro lugar na sua vida!

    Força!

    ResponderExcluir