segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

2009

Mais um ano se vai... e mais uma vez eu venho aqui fazer um "balanço" do ano...

Bem, 2009 foi um ano excelente pra mim! Não tenho do que reclamar, se for reclamar é de tudo aquilo de sempre, nada de novo. E disso até eu já estou farta!
Depois de 2 anos fazendo terapia (9 meses foram com a "louca"), tomar remédios e ir me conhecendo me ajudaram muuuito!
Percebo que algo mudou dentro de mim, e mudou pra melhor!
Acredito que hoje sou uma pessoa mais alegre, sociável, menos reclamona e mais decidida.
Sim, esse ano foi o ano das decisões, algumas ainda não foram postas em prática, só na metade do ano que vem (ai, como é duro esperar!!!!) e outras decisões eu me orgulho muitíssimo de ter tomado e tenho certeza que fiz o melhor pra mim.
Esse ano, resolvi ser egoísta, mas de um jeito que eu acredito bom: pensei mais em mim, nas minhas vontades, desejos e o que realmente eu quero pra mim e deixei um pouco de lado os outros, os outros são egoístas e fazem suas escolhas sem lembrarem, muitas vezes (ou todas as vezes?) que eu existo, por que vou continuar sendo legal?
É, o CSL (Cansei de Ser Legal) veio com força, mas não pra que eu arrume desavenças, mas sim para que eu me dê espaço, para que eu me valorize e me respeite. Era o que realmente faltava pra mim e estou fazendo!
Hoje me sinto mais bonita, atraente, simpática, charmosa e tudo mais que não achava antes. Sou uma mulher nova: agora eu gosto de mim e sei que não preciso de ninguém ou, como diria o Blur: I don't need anyone but a little love /Would make things better rs

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

A velha muquirana me inspirou!

Dois posts abaixo falei mal de uma professora cabeçuda lá da escola, ela está obcecada pra passar na provinha, medo de o salário da aposentadoria ser ínfimo já que não fez nada da vida, só reclamou...
Ainda mais que soube que uma professora - que já contei sobre o caso da tal provinha (ver dia 19 de fevereiro) do ano passado e o que essa figuraça aprontou dando aulas de português -, fez menos que a média de questões e disseram que ela chorou na escola... ela tinha um contrato com a prefeitura e não quis! Preferiu esperar pela prova do Estado... agora é chorar mesmo...

Mas voltando à velha muquirana, esses dias sem aluno está impossível ficar na escola arrumando diários, preenchendo papelada com ela obcecada e reclamando...
A escola recebe os jornais do dia (Folha e Estado) estava eu e a inspetora olhando os jornais e eu falando que tá insuportável aturar a tiazona... e aí, damos de cara com uma propaganda de cueca com o namorido da Madonna...
Eu viro e falo "S...., só Jesus na nossa vida!"
Rimos, mas ela pega, corta do jornal a propaganda, põe no mural dos professores e escreve a tal frase. Eu tiro foto pelo celular pra guardar pra posteridade:




No outro dia, claro, a foto não estava mais lá... alguns disseram que só pode ter sido alguém muito religioso que se sentiu ofendido e arrancou a foto. Eu disse que só pode ser alguém muito desesperada ou desesperado, vai saber, né? E coloquei um recadinho pra pessoa: Quem levou nosso Jesus Luz? Deixe de ser egoísta e divida ele conosco! rs
Quanta ignorância nesse mundo! Só por causa de um nome!

O mais engraçado é que mandei a foto via e-mail para a revisão onde trabalho, tem uma revisora que costuma também falar o mesmo, só que ela adorou! E todas as outras rs
Olha a diferença de pessoas e cabeças!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

AMO!

Finalmente em DVD!!!!

AMO AMO! AMO!!!!!!





Comprei de presente de Natal pra mim! ehehe

Veja no blog antigo, dia 23 de julho.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Revoltada.com

Já falei aqui o quanto fico brava, revoltaaaada com a maioria dos professores que conheço e que não honram a profissão, mas esse não é o maior dos problemas, sabe?
Só estou cada vez constatando mais que, no Brasil, ser professor é fazer bico ou ter vida fácil (no mau sentido mesmo rss) para a maioria das pessoas é isso, é assim que enxergam essa profissão.

Estava na lotação indo pra escola de manhãzinha e uma moça comenta com as amigas "ah, eu vou terminar de fazer o supletivo, depois eu faço o prouni, pego meia bolsa, faço pedagogia e vou dar umas aulinhas": veja o diminutivo, não é trabalho, são "aulinhas". Todo mundo acha que ser professor é uma moleza, é só dar umas "aulinhas"...
O Brasil não vai mesmo pra frente com essa mentalidade tacanha.
Educação no Brasil não existe, seja a que deveria vir de casa e a "formal", da escola, é vista apenas como "aulinhas" que qualquer um pode estar ali 'ministrando', sem muito compromisso e ganhando pra isso...

Eu também falo mal dos professores da rede que não merecem nem o emprego miserável que tem, talvez eles, quando fizeram faculdade, pensaram o mesmo: vou dar aulinhas.
Tem uma tia que eu estou cada dia mais de saco cheio dela... uma professora que já comentei aqui (aquela que não sabe nada dos direitos que ela tem), está pra se aposentar, dá aulas de História e não tem um pingo do ideário que conheço dos historiadores, ela é uma velha chata, insuportável que ainda é da igreja dos que levaram din din pros States e foram pegos... (ela é o tipo de pessoa que enche as Bíblias desses caras de dólares...). Além de tudo isso é uma muquirana, pão-dura dos infernos! E, pra completar, só reclama da vida. Não participa de uma festa da escola pra não pagar 15, 20 reais de churrasco... pesa no orçamento dela...

Bem, se reclama da vida, fosse fazer algo dela antes, não?
Eu sei qual a preocupação dessa chata, ela vai se aposentar e vai perder todas as gratificações que tornam o salário aceitável... vai só receber o salário sem essas gratificações...
E aí eu comentava outro dia: eu cheguei agora e peguei o barco desse jeito e o povo que tá há mais de 20 anos, o que fez pra mudar a situação? Com certeza foi aceitando tudo que o governo foi decretando, não fez greve. Ela fica lá reclamando "os professores precisam se unir por que onde vai parar? alguém tem que fazer alguma coisa!" E ela fez?
Ano passado ela não fez greve porque isso iria atrapalhar a aposentadoria dela, demoraria mais... mas quer que a gente faça alguma coisa para que ela não receba de aposentadoria um salário de fome... eu nunca a vi fazer greve... e ainda por cima não é concursada, não teve capacidade em 25 anos de magistério para passar num concurso público, seja qual for... só pra ficar levando as "aulinhas"...
Agora reclama que tem que estudar pra "provinhas dos OFAs" do governo - nova prova classificatória pra quem não é concursado - ela não sabe se a aposentadoria sai ainda este ano...
E aí resmunga que tem que estudar pra prova e que tem que corrigir trabalhos e que alunos da sala tal não querem saber de nada e aquele blábláblá todo...

O que vocês não sabem é que eu fui caridosa com ela no começo do ano e fiz o imposto de renda pra ela. Ela disse que ia me pagar - até hoje! vaca velha! - aí deu um problema há coisa de uns 3 meses no IR dela: ela não declarou um pensão que ganha, disse que não sabia que tinha que declarar (sei, tentando enganar o IR...), com o cruzamento de dados o Leão descobriu e ela não receberá nada de restituição e ainda terá que pagar mais (benfeito! é, é assim na nova ortografia). Bem, se ela recebe mais dinheiro "por fora", não vai passar fome, né?
Quando deu problema, ela veio falar comigo que precisava que eu visse o que fazer, que ela ainda não tinha me pagado, mas pagaria e yadayadayada e vai a idiota aqui acreditar e vi, não deu muito certo pela net e ela teve mesmo que ir no poupatempo. Eu, de saco cheio, dei graças a Deus!
Hoje, uma outra professora a avisa de um questionário que a "historiadora" tem que preencher da matéria dela no site do governo.
Já se desesperou: "ah! como faz quem não sabe mexer em computador e não tem em casa (duvido que seja verdade, ela tem uma filha de 20 anos E TRABALHA!!!), aí eu tenho que aprender, mas aí não tem quem me ensine... é tão complicado na minha idade (uns 55 só... mas já que ela gosta de ser velha coroca, vamos chamá-la assim)..." Outra professora da mesma idade que ela super pra frente diz: "ah, pede pra alguém aí te ajudar, a (eu) está de bobeira" (estava mesmo, no orkut, já fechei e entreguei minhas notas, eu posso!).
E a tiazona: "Rê, você faz isso pra mim, entra lá no site e preenche o questionário!" (perceba, não há um por favor, faz favor etc na fala)
E eu (hora do troco!!!!!): Não, eu já tô indo embora...
A sala se calou, ela fingiu que não era com ela e foi conversar com coordenador sobre a  data do tal questionário. Não era minha hora de ir embora, mas sai da sala e dei tchau pra todo mundo.
Vai se ferrar velha dos infernos! O salário que você vai receber por suas 'aulinhas' ainda é muito pelo desserviço que fez à educação!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

inventividade

Acabei de inventar, estava fazendo um daqueles quizzes do Twitter e deu que meu estilo de música é o Punk e eu sai com o PUNKadão!

Adorei!!!!
Fui eu que inventei!!! \o/

E ainda emendei: Só The Clash e Ramones salvam!!! rsrs

Das verdades que devem ser sempre ditas

A verdade que deve ser sempre dita no meu caso é que eu não consigo ser uma pessoa má o tempo todo - bom, né? rs

Tinha feito há um tempo um post de superação de uma história e muita gente não via como eu conseguia. E pretendo, hoje, conseguir de novo.

Andei refletindo muito sobre o meu comportamento e realmente ele é de uma menina, mas não enciclopédia e sim de rua, barraqueira.
Remoer coisas que passaram só me faz mal e mais uma vez, a maior prejudicada fui eu mesma, é como se eu estivesse mentindo pra mim mesma quando tenho meu ataque de fúria no estilo programa do Ratinho... porque eu sou assim quando não penso bem, não pondero o que estou fazendo comigo...

"I don't know what to do with myself..."

Citar música cool não vai me tornar melhor...

Mas o que eu quero mesmo dizer - e que sei que vou ouvir um monte por essa atitude, muita gente não vai concordar com ela -, é:

Desculpe-me, moço do post extremamente infantil e mal-educado!
Por mais ruim que eu possa dizer que as coisas foram, eu não posso nunca esquecer de momentos realmente especiais e o quanto você esteve do meu lado quando precisei. Não posso esquecer que se você não me brecasse em várias situações, eu bateria no poste.

Os que não concordam com a minha atitude, não vou pedir desculpas porque esse é o jeito que sou, não quero e não vou "ficar de mal" das pessoas, sinto-me sempre muito melhor quando faço ações como essa que acabo de fazer!

E quero ser sempre uma pessoa do bem, por mais que o dark side às vezes me pegue de jeito, vou continuar lutando pra isso!

terça-feira, 3 de novembro de 2009

A professora cupido

Ele é um garoto do segundo ano.
Numa daquelas faltas em massa na escola (excursão para o playcenter ou coisa desse tipo) passei um bom tempo conversando com ele.
Garoto inteligente, lê muito, esperto, bonito,educadíssimo. Um doce!
Ele me dizia que não entendia por que as meninas preferiam os tipos inconsequentes e que não valiam nada, por que elas não o notavam. Eu disse a ele que via nele grandes qualidades e que ele não deveria desanimar, que o principal ele já andava fazendo: sendo mais sociável, amigo de todos e que uma hora a menina certa apareceria.

Ela é uma menina do primeiro ano, entrou na escola esse ano.
Inteligente, educada, bonita, alegre, caprichosa, meiga! Muito fofa!

Tanto um como o outro vieram da escola particular que os pais não puderam continuar pagando, e o que se percebe é que desenvolvem melhor os trabalhos e as disciplinas, têm mais facilidade.
(Ninguém vai mudar minha ideia de que quem faz um bom "primário" tem mais facilidade depois...)

Eles me parecem semelhantes.
Até que vi que eram amigos e mais, percebi que havia alguma coisa...
Fiquei só na espreita, vendo se realmente um casal ali se formaria.
Semana passada, mais uma falta em massa na escola...
E, como sempre, os dois vão para escola...
Isso fez me lembrar do meu tempo de cursinho quando estava apaixonada por um cara da minha turma, eu não faltava no cursinho nem em véspera de Natal... rs ia ter aula? eu estaria lá, se ele me dissesse que ia também.
Fiquei empolgada de ver essa "coincidência": todos faltavam na escola menos os dois! Até nos sábados de reposição eles estão lá!
Até que nesse dia, vi os dois numa das salas de aula, de mãos dadas. Achei tãããããaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaoooo fofo!
Fiquei tão feliz que parecia ser eu a menina apaixonada!
Adoro os dois e acho um casal liiiindo e que combina muito!

Ela estava falando comigo pelo msn e vi o depoimento que ele fez pra ela no orkut: lindo e apaixonado (ounnnnn!!!!)
E aí resolvi perguntar a ela. E ela parece bem interessada (me disse que gosta muuuito dele), só que a mãe não quer que ela namore agora e quer que ela o conheça melhor (como ela conhece, segundo palavras dela) para falar com a mãe.
E ainda ficou com medo que eu contasse pra mãe dela - a reunião é amanhã - já dei meu veredicto: vocês são um casal muito fofo! Se sua mãe quiser referências dele, eu darei as melhores possíveis!
Serei o cupido!

Fiquei até emocionada!
Tô piegas? ah, mas é tão fofo!!!! Torço muuuuito por eles!

Só coisas assim pra me darem alguma esperança...  ^ ^

sábado, 24 de outubro de 2009

Meu cachorro enterra todos os brinquedos que dou pra ele: osso, osso com apito, bola (quando não as destróe) não sei se isso é por ciúme do gato...
E eu sempre me lembro desse desenho da turma do Pica-pau.




Dig That Dog
Enviado por klangley. - Veja filmes em destaque e emissoras de televisão inteiras

Foi difícil de achar, mas ta aí!
Lembram desse?

domingo, 11 de outubro de 2009

Trauma superado?

Sexta-feira me diverti como fazia tempo não me divertia com uma coisa que eu não tenho a mínima "vocação": esporte, ou era o que eu achava.
Já contei sobre a professora carrasca de educação física que me traumatizou pro resto da vida com os esportes. Enquanto eu era, pra ela e as suas aluninhas preferidas, um zero à esquerda, eu sei que não era bem assim.
Por exemplo, com toda essa minha altura - e na sexta também me mediram e deu 1,62 (auaauahah de jeito nenhum!) até me senti uma Ana Hickman rs
Então, com toda essa minha altura eu era cestinha no ginásio.
Era simples: ninguém passava a bola pra mim e eu ficava só eu e o garrafão adversário sozinhos... até que alguém me ouvia gritar pra jogar a bola pra mim ou me via. Estava sozinha, jogava a bola, acertava e pronto!
Eu era a Romária do basquete rs ficava lá, no garrafão como ele na banheira rs

Uma outra vez, joguei com as alunas vôlei, fiquei com o braço todo dolorido, a bola não parecia ser tão dura e má quando eu tinha 14 anos... sexta fui brincar de arremesso numa roda só de meninos.
Divertido! Muito divertido!
Foi na escola, claro, houve uma atividade de uma faculdade particular na escola, com várias modalidades e tudo mais, um dia meio olímpico. E eu voltei a acertar cestas!
Até tentei lembrar como se fazia uma bandeija rs não sei se acertei, mas tentei!
Acho que meus alunos nunca me viram tão empolgada jogando no meio deles - jogando que era bem difícil mesmo...
Alguns ficaram me assistindo e eu fui bem, apesar dos telespectadores.

Claro, fiquei sim com dor muscular, sem aquecimento e sem jogar há anos... meus braços ficaram doloridos mas o que realmente me chamou a atenção foi lembrar que nem pras meninas no vôlei e nem pros meninos ali no arremesso eu era um "Paul Pheiffer", eu era boa!
Talvez eu sempre tenha sido boa nos esportes, o problema era ter uma professora ignorante, preconceituosa, folgada e autoritária.
Não que eu ache que viraria uma Ana Moser ou uma Hortênsia, mas alguém que não teria problemas com os esportes e que preferiu levar atestados todos os anos do Ensino Médio para não ser torturada mais uma vez nas aulas de "Educação Física" e que educação eu recebi!

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Só comigo...

Acabou de chegar meu livro novo: Fogos, da Marguerite Yourcenar.
Comprei por conta da poesia "Ausente" e não é que o meu livro a tradução é diferente:

Quando te ausentas, tua imagem dilata-se a ponto de preencher todo o meu universo. Passas ao estado fluídico dos fantasmas. Quando estás presente, ela avoluma-se e atinge o grau de concentração dos metais mais pesados: o irídio e o mercúrio. Desfaleço sob esse peso quando ele se abate sobre o meu coração.

A versão que eu conhecia era assim:

Ausente, a tua figura aumenta a ponto de encher o universo.Passas ao estado fluído que é o dos fantasmas.Presente, ela condensa-se; atinges asconcentrações dos metais mais pesados,do irídio, do mercúrio...Morro com esse peso quando ele me cai sobre o coração.

O jeito é aprender francês e ler o original!

Absent, ta figure se dilate au point d'emplir l'univers. Tu passes à l'état fluide qui est celui des fantômes. Présent, elle se condense; tu atteins aux concentrations des métaux les plus lourds, de l'iridium, du mercure. Je meurs de ce poids quand il me tombe sur le coeur."
Marguerite Yourcenar, Feux

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Fábula dos idiotas e a professora sarcástica

Dois alunos imbecis - eles são totalmente ridículos, aqueles alunos malas que se acham espertos, mal sabem escrever e se fazem de bonzões, os manos que dão uma de gatão... um deles, um pouco antes das férias, pôs 6 comprimidos de lactopurga numa latinha de Coca-cola e oferecia para os "colegas" de classe e se matava de rir no outro dia dos que faltaram...

Voltando aos imbecis, cada um com uma camiseta se achando o bonzão, a do "purgante" estava assim "I ♥ love my penis" e quando vi a camiseta só pensava "coitado do bichinho, você não o deve deixar sossegado! deve amá-lo MESMO!!"
E o outro babaca com duas frases também em inglês, com uma seta apontando para a cabeça do "dono da camisa" estava "the man" e apontando para o amiguinho debaixo "the legend"... os dois se achando muito, né? E ainda perguntavam pra mim se eu sabia o que estava escrito - como se eu fosse analfabeta como eles... O tal da "lenda" eu mesmo tinha traduzido pra ele um dia... do outro era muito fácil, né?
E se gabavam e riam...
Até que um outro garoto da sala que fica cheio de frescurinha com as meninas estava agarrando uma delas e, claro, eu não poderia deixar passar e lá veio a frase do dia de ontem:

"Pois é, @liss*n, você não precisa de camiseta pra mostrar que é bom, né? Pra que camiseta se você pega todas? rs" riso hipersarcástico e alguns alunos rindo e as meninas riam mais ainda, uma delas acenava com a mão pra mim dizendo que eu estava certíssima e os dois bocós fingiam que não era com eles a história, o "pegador" nem tinha prestado atenção e nem sabia do que estavam rindo...

Moral da história: não se gabe de algo que não é merecedor, ainda mais se tiver eu como sua professora, eu vou encontrar um jeito de te detonar rs

terça-feira, 8 de setembro de 2009

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Continuo num ritmo pesado de trabalho: dois empregos diferentes.
Fazendo lista de livros pra vender - cds e dvds acho quase improvável que me desfaça de alguns, mas acho q tem um outro pra eu leiloar rs
Estou num estágio de ver o que precisa continuar na minha vida ou não - materialmente falando rs - planejando coisas... cabeça a mil e nem sei quando escreverei super posts aqui...

Pensei em falar sobre Crepúsculo que eu finalmente assisti pra matar minha curiosidade. E percebi que todo esse frisson vem do fato que todo mundo já sabe: os vampiros sempre foram - no cinema - figura sedutoras. Toda história gira em torno do hipnotismo dessa figura lendária pela qual a mocinha da trama se apaixona.
O que deve mais chamar a atenção aos adolescentes e deixar ainda mais em ebulição seus hormônios é a tenção romântica que não pode se "consumar" por fatores da história... isso até em mim criou uma certa esperancinha - de que rolasse rs
Só que a história em si é boba, é aquela coisa de romance em High School, grupos rivais, diferenças entre família etc...
Tem até a minha querida "Nina Meyers" fazendo papel de mãe da Bella... ela está loira, demorei a reconhecê-la, mas Sarah Clark tem papel pequeno...
E a Bella não parece muito com a foto da capa do filme, o photoshop foi absurdo! Não que ela é feia e ficou bonita, simplesmente não parece a mesma pessoa! Incrível!
Se o "ex-Cedric" é um canastrão como disseram, ele é. E quem não é em Hollywood tirando alguns poucos verdadeiros atores?

Vi finalmente A procura da felicidade com o Will Smith, se é pra falar de atuação, Will é o cara!
O filme é a velha história do sonho americano, mas Will faz bonito!

Outra graaaande atuação e de Clint Eastwood em Gran Torino, quando você assisti aos extras, ele conversando, não é mais a mesma pessoa! Ele dá um banho de interpretação como um ex combatente da Guerra da Coreia que se aposentou montando carros na Ford. A família não tem um pingo de respeito por ele, talvez por ele ter sido um pai turrão, mas ter netos que zoam no enterro da avó na igreja e uma neta piriguete, não dá!
Ele é um senhor totalmente preconceituoso, só que recebe a amizade a gratidão dos vizinhos asiáticos que com ele aprendem também, principalmente Thao, um rapaz de baixa estima, triste, inseguro e perdido.
No meio de uma gangue que os inferniza...
Muito bom filme! Vale a pena!

sábado, 15 de agosto de 2009

As 7 faces da Dra.Lao Enciclopédia

Sociabilidade
sociability it's hard enough for me...

Há alguns dias venho me analisando e percebendo que ando uma pessoa bem mais sociável. Daquela menina pouco falante e fechadona ainda tenho muito, mas tenho percebido que me soltei muito mais, não sou tão antissocial como gosto de me intitular.
Percebi que muitas pessoas me acham meiga, um doce etc etc etc... coisa que nunca imaginei ser pra ninguém, muito menos pra mim rs
Não sou o tipo de pessoa falante... até falo quando estou revoltada com o mundo rss reclamo até! Como faço aqui, naqueles posts enoooormes! (que eu estou devendo rs)
Sinto-me bem assim, mas não é uma coisa que aprendi a vivenciar de uma hora pra outra, não... é uma coisa demorada e que precisa de muita aprendizagem e terapia (ah! sim!)

Já me disseram: ah, você tem que ser mais sociável! Falar é muuuito simples quando não é você... mesmo que ouça isso de alguém que você já pensou te entender...

Lá vou eu reclamar de novo que eu procuro o máximo entender as pessoas e elas não fazem o mínimo esforço pra entender a mim e vão falando o que querem sem pensar... mas não são tooodas as pessoas... são algumas que eu esperava demais... e deveria esperar "demenos". D- de nota pra esse povo!
O importante é que eu estou querendo me modificar - em algumas coisas que considero que devo - se me falaram isso ou aquilo, seria melhor eu ter desprezado e nem ter citado, não vale mesmo a pena... se fosse tão bom assim, essa pessoa seria um poço de alegria e amigos.
Outra coisa que muita gente confunde, falando em amigos, é que popularidade é ter "um milhão de amigos".
Mentira!!!!!
Não, você não tem um milhão de amigos.
Então, por que cargas-d'água eu sou obriga a ser a "Rainha da Popularidade"?? Já falei isso láaa no twitter, vou eu mesma me citar (rs):

já me disseram q eu deveria ser mais sociável, pq?
tenho poucos e grandes amigos p q ser a rainha da popularidade cheia d falsos cognatos rs

Estava inspirada quando escrevi isso rss Nunca vi muito essa coisa de ser popular, conhecida por todo mundo, como algo legal.
Tem a ver com o fato de ser muito discreta, muito na minha?
Com certeza tem! Mas eu nunca vi ninguém ser feliz com todos esses amigos que só aparecem na alegria e somem na tristeza...

Amabilidade
Uma menina que trabalha comigo me disse ontem que uma amiga dela disse que ela (essa menina que trampa comigo) é boba por ser tão legal com os outros e que ela não se importa, apesar de sofrer.
Eu disse a ela que pelo menos, ela está com a consciência tranquila, de alguém que fez o melhor.

É isso que eu aprendi a sentir toda vez que alguém me dá uma "porrada": eu só fiz o bem... enquanto o outro... é, eu acredito no aqui se faz aqui se paga!

Durante essa conversa nossa, eu estava terminando um trabalho de cotejo de provas com essa garota porque a moça que fazia dupla com ela passou mal, pressão alta. Eu me ofereci pro trabalho.
Ficamos até 10 da noite pra terminar, porque precisava ser terminando naquele dia.
Quando fui embora a menina veio atrás de mim depois que me despedi de todos pra me agradecer tê-la ajudado...
Fiquei surpresa, não esperava essa gratidão toda e percebi que o que eu faço de bem volta como bem e ela não é boba de ser legal, ela também pode encontrar outras pessoas como eu que valorizam o respeito ao ser vivo e procuram sempre ajudar.

Sociabilidade 2
Só percebi essa situação de que tenho melhorado em ser mais sociável quando um senhor que faz um trabalho voluntário comigo me disse que eu estou muito mais "acessível", participante e amiga de todos, que eu sempre fui muito na minha...
Realmente, sempre fui, acho que aos poucos, fui ganhando confiança para me soltar e ser mais amiga com pessoas - neste caso - que sempre quando chego ao local me sinto muito querida e bem vinda.

Viciada em Séries
Já comentei isso por aqui, sou, sou muuuito viciada em séries!
E pode muita gente achar "poxa! sábado à noite, sexta à noite e vc se entupindo de séries?"
Sim!
Muito melhor do que encher a cara ou ficar com algum babaca que te vê como um pedaço de carne sem nome.
Já falei aqui: não tenho saco pra balada!
Agora poderia até ter já que não vai ter mais o cheiro insuportável de cigarro! É tão bom saber que aqueles babacas que ficam te queimando na pista de dança vão ter que ir fumar na rua!
Mas haja saco pra ficar vendo tanta gente fútil e que só quer mostrar o que realmente não é...

Radical
Sou do tipo "falei mesmo! pronto, falei!" e não ligoooo!
Devo ser considera insuportávelmente barraqueira por alguns... mas eu sou radical naquilo que acredito ou gosto, não adianta!
Eu odeio aquilo que considero música ruim e não faço esforço pra me mostrar boazinha... por exemplo...
Sexta passada, estava trabalhando no meu freela de revisão, sexta de manhã tive que ir uma hora mais cedo trabalhar, cheguei 40 minutos atrasada, ouvindo no busão forrózão nos celulares dos imbecis que compraram no camelô seu aparelho - se não tem fone de ouvido é pq é celular roubado! é minha grande teoria!
Começo meu trabalho, e duas piriguetes no lado de fora sentam na calçada pra comer pão com mortadela (juuuro!!) e ouvir um sonzinho no celular de pobre delas - pra mim, celular que toca pro mundo ouvir é de pobre!!!! POBRE DE ESPÍRITO! QUE PENSA QUE EU GOSTO DE OUVIR LIIIXOOO!!!
Trabalhar com revisão e ouvir forró?? De novo essa porcaria dos infernos?
Até aí, aturei... mas aí ligaram no fank... ah, aí não deu pra mim... fui falar com a recepcionista pra mandar aquelas piriguetes pararem com aquilo.

A recepcionista: elas estão incomodando?
Eu: A MIM SIM!!!

Bem, sou paga pra revisar textos, preciso de concentração, quer que eu faça o trabalho um lixo e escreva/troque por qualquer letrinha ruim que eu ouço diariamente sendo obrigada? Eu troco! Pode deixar, depois não reclama!
Uma das meninas virou pra mim e falou "você é traumatizada com fank, né?"
Sou! Eu sou! Já não basta no Carandiru ops! Escola?

Outro radicalismo...

Eu sou muito certinha e gosto que sejam também. Estava sábado passado na fila do Centro Cultural São Paulo com dois amigos (Garota no Hall e Persiolino) pra rever Cinema Paradiso, estávamos na fila e um senhor de idade começou a conversar com o casal na nossa frente, pra furar fila!
Sim, eu me revolto! Sim, era um senhor de idade! Mas ele tinha ingresso, a fila não era tão enorme, é de graça e ele ainda falava que tinha visto várias e várias vezes o filme.
VELHO SACANA!!
Sim, pra mim é sacana sim e não importa a idade.
É claro que fiquei ali falando "por isso que esse país não vai pra frente se nem os mais velhos respeitam uma fila"...
Meus amigos devem ter ficado sem graça comigo, mas desculpem!
EU NÃO AGUENTO O JEITINHO BRASILEIRO!
E muito menos a "música" brasileira...

Corajosa
Aprontei uma ontem na escola...
Reunião pedagógica é tudo um saco, o coordenador vem com aquelas lorotas ridículas de textos "quem educa blábláblá..." ou a coordenadora com umas dinâmicas de grupo pra "unir" o grupo... Daí uma lista de pontos positivos e negativos da escola, a maioria dos negativos tem a ver com os professores - é, a culpa é sempre nossa!!!
A diretora e o vice estavam presentes e eu questionei sobre a falta de inspetores (que alguns chamam de bedel), uma das funcionárias para essa função vive na rua, ela não trabalha, fica passeando pelo bairro batendo papo, nunca temos a quem recorrer na hora que precisamos, é preciso sempre deixar a sala sozinha e ir resolver o que tiver por que a super esperta tá passeando e então eu disse:
"E a fulana, seu vice? Quando vai trabalhar?"
Ele: "ah, ela tem umas folgas do TRE pra tirar e..."
Eu: Não! Quando ela vem ela não trabalha! eu vou almoçar e ela tá voltando da rua, tá sempre batendo perna e não tá aqui...
E ele disse que agora ela vai passear com ele... só quero ver, capaz de passear mesmo, literalmente...
Daí uma professora veio me dizer que eu fui corajosa de ter falado sobre a inspetora.

Lembrei de outra vez que também fui corajosa.
Foi na faculdade, quando fazia Licenciatura (a pior coisa que alguém pode fazer pq o blábláblá é bem pior ou igual a esse da coordenação aluno = anjo professor= servo).
Tínhamos feito um trabalho, uma monografia pra concluir a disciplina e a professora não teve tempo - veja só! - pra terminar de dar notas antes da última aula.
O que ela fez? Deu nota, deixou um papel com o primeiro nome da gente sem escrever a justificativa do porquê daquela nota.
Aí, tínhamos que nos dar uma nota final pra nós mesmos, seria nossa nota final na disciplina. Como eu tirei 7 no meu trabalho e não tenho ideia até hoje porque, como tinha ficado maluca pra achar alguém que em 2000 tivesse um scanner pra algumas imagens do trabalho.
Quando chegou a minha vez eu me dei DEZ!!
A professora ficou louca, disse que não teve tempo pra ver os trabalhos e que isso não justificava eu me dar 10 na matéria.
Não quis saber, ela não ia me dar a nota que pedi? Pronto!
Toda a classe ficou queita e todos se dando notinhas, dando uma de politicamente corretos pra eu ser a bruxa, claro...
No ponto de ônibus uma menina veio me falar "nooosssa! você foi corajosa em se dar 10!!"
E eu: Claro, ela não lê nossos trabalhos, dá a nota que quer sem justificativa e eu vou ficar com 7? De jeito nenhum!

E assim foi! 10 de Metodologia de Língua Portuguesa 2 rs

Acho que pra quem não me conhecia, agora é a hora de dizer "tchau, enciclopédia" rs
Eu sou do tipo "ame ou deixe" rs

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Libido

Tenho estado menos na internet e venho dizendo isso há meses, a verdade é que eu estou numa fase totalmente seriemaníaca...
Já tive essa fase antes, quando tinha 15 anos rs, ela voltou com força - agora que aprendi a baixar por torrent...

Eu meio que esqueço de postar, de blogar como antes... acho que o twitter também tem culpa no cartório... mas a verdade é que entro na internet, vejo uns e-mails, algumas outras coisas e pronto, não tem mais sentido de ser...
Acho que minha libido mudou de lugar, ao invés de descarregá-la horas na internet, descarrego-a vendo séries...
Simples assim - combina com o dia de hoje (dia do orgasmo rs)
Até brinquei no Twitter e disse que é muito triste se a pessoa espera só por esse dia em 365 rs

Voltando, meio que sim, é um jeito de canalizar meus desejos, sim!
Afinal, já disse pra meio mundo que não quero me apegar a ninguém nesse momento. Tenho planos, planos até ambiciosos ou corajosos, ainda não sei, só vou saber quando enfrentá-los... e não quero me envolver com ninguém.
Eu me apego, não tem jeito... e aí, eu posso perder todo o foco de onde quero chegar. Não! Não quero perder o foco, estou concentrada!
Claro, eu fico triste?
Ah, fico!
Fico carente!
E como!
Mas se eu não fizer isso não vai ter jeito e, afinal de contas, pra quem já foi chamada de desesperada pra casar, taí o troco...
Eu deveria fazer como a música do Legião, né?
"Provar pra todo mundo que eu não precisava provar nada pra ninguém" rs
Não tenho mesmo o que provar, mas que é bom deixar a pessoa com cara de bocó, é ótimo! Fazer um juizo errado de mim dá nisso...
Cada um que arque com suas escolhas!
Eu estou arcando com a minha, é difícil, mas o tempo vai me mostrar que eu estou certa!

segunda-feira, 20 de julho de 2009

90's

Os anos 90 parece que estão voltando de alguma forma na minha vida, pelo menos.

Estou assistindo novamente a Arquivo X, perdi muitos episódios acompanhando nefastamente pela "Unirecordsal". É engraçado rever David Duchovny e Gillian Anderson no começo da série... os jovens agentes que terão muito o que enfrentar... divertido voltar a vê-los e ver episódios que me foram "censurados" pela outra emissora.
O grande problema do DVD é que os extras não estão em português e GENTE!!! a Fox precisa ou precisava urgente de um revisor ou de um tradutor que saiba PORTUGUÊS! Coisas como "conecções" ou "obsecado" é de matar!!!!!!!

O Blur também parece estar de volta - não sei se só neste verão europeu - mas eles foram minha grande trilha sonora dos 90's. Era apaixonadíssima por eles, gravava até vinheta da mtv que passasse eles!
Quando vi o show em Glasto eu só conseguia me emocionar e falar "PQP!!!!!" de alegria de saber decor até hoje as músicas deles!
E, além disso, ficar muito feliz de tê-los vistos em 99 aqui em Sampa ... maravilhosa década essa de 90, não?

A rádio Mitsubishi FM também tem uma programação que me lembra demais os anos 90: Verve, Suede, Belle & Sebastian, The Presidents of the US... e tanta coisa que via clipe/ ouvia... mata minha saudade...

Esse matar a saudade tem me trazido boas lembranças e me lembrado o quanto eu era feliz, o quanto era alegre - bem mais do que hoje rs - fico pensando que muito do que eu queria e pensava nos anos 90 não foi concretizado, meus sonhos se foram e os anos "00" acabaram me deixando tristonha e sem perspectivas...
A partir de 2000 comecei a ter umas ideias na cabeça que não iam muito longe por falta de grana. Bem, se passaram 9 anos e tudo que poderia juntar nesse período eu juntei, infelizmente poderia ter juntando mais se não fosse uma fase desempregada... mas aquilo que era só sonho dos anos 90 e ficou só no ar. Em 2000, ganhou força a partir de maio de 2006, quando sofri acho que o maior baque da minha vida... ser ameaçada de morte muda as pessoas e o que elas querem pra vida... e resolvi que meus planos deveriam ir em frente... no final do mesmo ano tive mais uma grande decepção que só me fez mal - acho que mal desde o começo, bem antes de vir a decepção... só eu não via...
Tentei fazer novos planos e fugir do plano feito anos atrás... tentei mudar de vida, tentei mudar de emprego e tentei muito fazer com que olhassem pra mim e me vissem como eu queria ser vista, quer dizer, como eu achava que merecia ser vista, como eu acho que sou e mereço, que vissem minhas qualidades e me dessem um pouco de atenção, carinho, entendimento.
Como nada disso aconteceu, como minha vida está amarrada a um futuro que eu não quero ter pro resto da vida, decidi que tenho que mudar tudo, radicalmente, já que não posso me dar ao luxo de dizer "estou aqui porque tenho ISSO que me faz feliz e me ajuda demais a enfrentar a vida no Brasil" nada me prende a esse lugar que eu odeio.
Se em outro lugar serei feliz?
Não sei, melhor tentar algo diferente e pode dizer "tentei" do que passar o resto da vida reclamando de aluno, governo-governador e família... pelo menos fiz algo pra dizer "eu tentei". Se não mudar totalmente as coisas, pelo menos algo de bom terei pra guardar.
Não dos 00 que se foram, mas da década de 10 vindoura... e é esse efeito "revival 90's" que me deixa corajosa pra enfrentar os 10's.

sábado, 18 de julho de 2009

Inversão de valores

Recebi por e-mail e é exatamente o que acontece comigo:


Essa pergunta foi a vencedora em um congresso sobre vida sustentável.

"Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos... Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"



Uma criança que aprende o respeito e a honra dentro de casa e recebe o exemplo vindo de seus pais, torna-se um adulto comprometido em todos os aspectos, inclusive em respeitar o planeta onde vive...

domingo, 5 de julho de 2009

"I'm walking contradiction/ And I ain't got no right"

Ando muito confusa nos últimos tempos, tem coisas que eu sei exatamente que quero e outras não, só que algumas outras eu tenho muitas e muitas dúvidas e essas dúvidas me deixam desanimada...
Desanimo por não saber exatamente o que quero de coisas que são fundamentais na vida... me contradigo várias vezes e acabo ficando deprê.
Não consigo me concentrar em coisas que antes fazia com facilidade, desisto, simplesmente, desisto de tentar.
Outras coisas que não eram tão fáceis eu lutava e conquistava, agora, acho tudo muito complicado e desisto.
Tudo eu acabo vendo como "ah, díficil... tô cansada" e pronto, não quero mais, quero desistir a todo momento de tudo...
Tem horas que sinto como se algo estivesse faltando, como se um imenso vazio surgisse e que esse vazio seria a chave: o que falta o preencheria...
Algumas vezes acho que esse vazio pode ser preenchido apenas com a palavra de uns seletos amigos (3 ou no máximo 4 pessoas).
Às vezes, acho que espero a palavra das pessoas erradas. Acabo me zangando com essas pessoas por esperar algo que elas não podem me dar. E, talvez, nem mesmo tenham como me dar essa palavra amiga, um conselho, me colocar pra cima.
Ando totalmente intolerante, não estou afim de papo com ninguém e ao mesmo tempo quero um carinho (olha aí a contradição). Sei que tem pessoas que gostam muito de mim, mas que eu não aguento o "assédio" delas, principalmente porque se explicasse o que sinto, não entendederiam ou não estão dispostos a ouvir. Algumas não querem mesmo ouvir, outras não tem como, não é do feitio delas e eu sou obrigada a deixar isso passar, mesmo ficando com raiva das pessoas.
Tenho que aceitar que nem todo mundo é sempre como eu: a amiga que está sempre do lado sempre que me procuram...
Tenho que aceitar que infelizmente nem todo mundo é assim e não me zangar com os amigos que vem chorar no meu ombro e mal perguntando como eu estou.
Só que nesse caso eu já tenho a plena convicção do que farei, aquela história do Twitter: Cansei de Ser Legal (CSL).
Não dá mais pra eu ser amiga e companheira de todos e não receber nada em troca, não deveria querer algo em troca, mas estou precisando e se não podem me dar isso, não posso mais ser amiga dessas pessoas.
Não consigo mais lidar com pessoas que descarregam toda suas frustrações e quando dou uma palavra amiga me ignoram ou se falo que passo pelas mesmas coisas a pessoa me deixa falando sozinha.
Cansei, simples assim...
Aqui mostro uma certeza, a boazinha está intolerante, a boazinha não tem vontade de ouvir lamentações como se fosse apenas um muro...
Principalmente porque ninguém pode me ajudar a terminar com as minhas contradições, sei que para terminarem dependem de mim, mas com a ajuda sempre tudo é mais fácil.
Se eu não puder ter ajuda, esqueçam que eu sou um ser forte e que precisam de meu apoio, não posso dar apoio aos outros se não consigo ficar em pé.

Muitas e muitas coisas passam pela minha cabeça, estou cheia de indefinições, um grande ponto de interrogação... não dá pra pensar nos outros. Uma vez na vida eu tenho que ser egoísta e pensar em mim.


sexta-feira, 3 de julho de 2009

Tinha esquecido dessa pérola!!!

Um sábado à noite (só darei maiores detalhes depois de contar essa conversa que ouvi), estava andando com amigos e prestando atenta à conversa de um casal que me chamou muito a atenção, eles estavam atrás de mim.

(mano) - Você conhece o bar brasil (ou seja qual for o nome do lugar)?
(mina) - Conheço! Eu costumo ir lá! É ali em Santana, né?
(mano) - Isso! A gente poderia combinar de ir juntos, o que você acha? Me passa seu msn, adorei te conhecer!
(mina) - Claro, a gente combina!
(mano) - Você curte bastante pagode?
(mina) - Ah, eu gosto bastante do exultaasogra, do mistureba, do Belohorrível...
(mano) - Nooooossa! Eu adoro o Belohorrível! Aquela música lá dele é muito romântica! O cara canta com paixão!
(mina) - Ele tem uma voz linda!
(mano) - Nooossa, ele é o melhor!

A partir daí, um amigo me chamou e perdi o resto da interessantíssima conversa e comentei com o meu amigo o "teor" do que o casal, que parecia acabar de se conhecer, falava.

Parece normal, não? Uma conversa de pagodeiros, não é?

Só que antes de meu amigo me chamar a atenção, olhei paras as figuras que andavam atrás de mim.
Agora vem a bomba!
Os dois estavam com a camiseta do show do Oasis! Com o rostão do Liam estampado!

Sim! Essa linda e singela conversa foi flagrada por mim na saída do show do Oasis...
Fiquei de cabelo em pé! E pensei: ou esses tem muito dinheiro pra ir num show de uma banda que eu nem sei se eles sabem alguma música, ou são aqueles famosos "ecléticos" pelos quais eu não tenho a mínima tolerância...
Porque, pra mim, ser eclético, e não dizer "tenho um gosto péssimo, não entendo bulhufas de música boa, mas ás vezes curto algo que presta"...

Vou continuar na "tolerância zero", ainda mais depois dessa...

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Depois da tempestade...

Há alguns dias, fiquei realmente me sentindo sufocada ao descobrir uma pessoa - segundo me disseram, pior que nem sei se é verdade - estava lendo meu blog, vocês devem ter percebido meu tom tanto aqui como no twitter.

A verdade é que me chateei com isso, pois além da pessoa me ofender, ainda não sei o que pretende lendo meu blog...

Até ameacei fechar o blog, percebo que não é o caso, mas se precisar, fecharei.

Esse, com certeza, não é o momento, ou então, vejamos:


Segunda-feira tive uma incrível surpresa ao descobrir que semana passada meu blog chegou a marca de 81 pessoas na semana!!! Um feito grandioso para quem está na blogsfera há quase 7 anos... Ainda mais depois de ter mudado de casa.


Ontem, terça-feira, recebi mais um presente, esse selo de "Blog Dorado" vindo da Lica.




Aqui tem a história do Blog Dorado (sem o 'u' mesmo).

Antes de mais nada, gostaria de agradecer a todos os visitantes deste blog, sejam amigos, "inimigos" (não a considero uma inimiga - a tal pessoa - mas se é assim que ela prefere, o que posso fazer?), stalkers o que forem!
Obrigada pela leitura e a audiência!

Obrigada Lica por me indicar e agora vou ás regras da Premiação:

Bem, já falei quem ofertou, essa é a primeira regra;

2 - Completar a frase: Eu sou a luz e quero iluminar...

Eu sou a luz e quero iluminar a todos que estão perto de mim seja pessoal ou virtualmente.

3 - Passar para até 15 "blogs de luz" e avisá-los...Nooosssa, difícil!

Mas vou tentar não deixar ninguém triste rs


O primeiro blog que pensei foi o No Mundo da Lua e Outras Histórias acho que o MCI escreve com o coração... já me emocionei e me supreendi com as histórias porque pareciam ser coisas que tinham acontecido comigo! Arrepia a proximidade de histórias!


2o - Receios, preocupações e cismas está aqui há pouco tempo, mas será que é mal de quem faz letras gostar tanto de escrever? Stella escreve de um jeito gostoso de ler e bem profundo. E parabéns pelo aniversário dela hoje!!!

3o - "Mundinho da Zandali Zandali é uma blogueira inteligente, atriz, professora e tem histórias muito boas pra contar sempre! Faz parte do "meu mundo blogueiro" praticamente desde que comecei!

4o. Minha amiga de longa data (dos tempos de USP) Maria Amália Camargo, hoje escritora tem um blog que usa de laboratório (?) para suas criações literárias, é só acessar Na Contramão do pelo Contrário

5o. Ela já teve vários blogs nesses anos todos, espero que esse seja pra ficar, ainda mais agora rss
É o blog da Garota no Hall mais uma que amo o jeito como escreve. As suas crônicas são tão sensíveis e os detalhes tão bem construídos. Adoro como ela escrever também!

6o. Quando crescer, quero escrever como o Rubens no seu Doramundo. Mais um que tem tantas histórias para contar e conta de um modo tão singelo que me apaixono pelos textos dele!

Estas são os meus escolhidos! Vida longa a todos!

sábado, 20 de junho de 2009

Pedrinha

Pedrinha apareceu lá na escola, toda feliz e saltitante.

Não tinha nome e a inspetora (ou bedel, como chamam em outros lugares) fez a gentileza de dar um nome pra ela. "Homenagem" ao nome da escola - que é esse nome no masculino e sem ser no diminutivo, com um sobrenome, claro.

Ela chegou e conquistou uma boa parte do pessoal, todo mundo já começou a chamá-la pelo nome. A menina ficava feliz quando nos via. Estava sempre com fome, tadinha!
Ah! A Pedrinha é uma cadelinha preta com o peito branco, muito, muito fofa que lembrava um cachorro que tive: o Duque.

Sempre dava o que tinha de comida pra ela, poderia ser até goiabinha, club social, nutry ela não gostou. Um dia, comprei um salgado na cantina só pra dar pra coitadinha. Ficou toda feliz, pulava em cima de mim, alegre.
Outra vez dei metade da minha marmita pra ela. Eu preciso mesmo emagrecer. Ela quase que não deixou eu colocar a comida e quis comer dentro da minha marmita rs
Uma das inspetoras da tarde trazia comida pra ela também.
Eu morria de dó por ela estar sempre por lá e ninguém levá-la pra casa... levaria pra minha se não tivesse um cachorro enorme que a estraçalharia.
Uma outra professora poderia tê-la levado - aquela prof de história que já contei aqui que só reclama da vida e tá pra se aposentar, um chata! - mas, mais uma vez, ficou resmungando no trabalho que ia ter se levasse a bichinha... (me poupe!)

Uma tarde, quando ia embora da escola, ela me acompanhava, se eu deixasse, ela ia embora comigo, tive que fazer ela voltar. Não ia deixar ela se perder dali, porque ela ia acabar me perdendo quando tivesse que passar pela estação.
Resolvi comprar comida de cachorro e dar pra ela na hora que ela aparecesse na porta da secretaria, muitas vezes ela não estava por lá, o terreno da escola é grande.

Semana passada, quarta-feira, antes do feriado, chovia forte e a coitadinha na porta pra não se molhar, mesmo assim estava encharcada, dei a ração pra ela. Ela não quis, não está acostumada, mas pensei, quando ela estiver com muita fome, ela vai acabar comendo.
Uma outra professora que mora perto da escola disse que iria levar comida pra ela no fim de semana, pra criança não ficar passando fome, mas pra sorte ou azar, voltamos do feriado e Pedrinha não voltou.
Fiquei triste, com medo que algo ruim tivesse acontecido com ela, mas espero muito que alguém tenha dado um lar pra ela e que a trate bem.
É só o que eu desejo, já que ainda não tenho liberdade pra cuidar de quantos bichos quiser na minha casa.
Lembrei até daquele proteste já da mulher que tinha um canil, ela tinha o mesmo nome que eu rs tinha que ser rs

domingo, 14 de junho de 2009

Periferia - parte 1

Essa saga não é preconceituosa, é a realidade nua e crua e se você que ler isso aqui achar algum exagero, venho morar em Findomundópolis e confira com seus próprios olhos!


O que é a periferia pra mim.
Todo dia presto bastante atenção e fico vendo como as coisas se procedem, daí decidi fazer um post dessa grande terra de ninguém que eu, infelizmente, habito há mais tempo do que desejo e que sempre penso que o dia que sair, será como Carlota Joaquina: batendo o sapato e falando "dessa terra não quero nem o pó!!"
Findomundópolis tem uma grande população relegada a não ter nada decente: postos de saúde com aquelas gordas preguiçosas que não sabem nem digitar seu nome no formulário, mas sabem usar o orkut. Magrelas crentonas que te olham feio e te respondem mal. Hospitais que não funcionam com o SUS, você tem que pagar consulta - mas no meu salário é descontado quase 200 reais de inss e aí? vai pra onde isso?
Hospitais públicos que não tem médicos: nenhum quer ir trabalhar em findomundópolis, os que vão, largam logo e aí fica o hospital lá... sucateado...
Como diria a música do Racionais: não há nem um centro recreativo pra molecada brincar, nem um incentivo...E assim caminha para o buraco a periferia...
Quem tem um pouco mais de cultura ou a família consegue uma renda maior, costuma se mudar. O bairro não vai pra frente. O trem, meu amado, está cada dia pior e mais abarrotado. É preciso cada vez se acordar mais cedo para se garantir que se entre no "trenzão", porque muitas vezes ele tem problemas e aí se fica a Deus dará...
Quando passo de manhã pela estação, às vezes sou obrigada a passar por ela e não consigo: há um abarrotamento de pessoas tentando passar pelo corredor e outras tentando pegar a fila para as catracas - que quando há problemas são limitadas ou fechadas, o que enfurece o povo, mas que continua votando nos mesmo corruptos e não dá um basta nunca na má situação. Seria muito simples conseguir que fizessem uma melhoria no local de embarque, espaço tinha muito, mas limitaram para que as pessoas ficassem se atropelando - ou tentando, nem isso, com tanta gente se consegue - até nas escadas de acesso às catracas.

Escola, eu preciso falar alguma coisa? Bem, depois das fotos no antigo blog?

A coisa que eu mais fico pasma é como o povo anda pra rua o dia todo sem o que fazer - e de carro!
Sempre reparo que são muito jovens e em grupo, andando a pé ou de carro e quando é de carro fico ainda mais perplexa: carrões caros guiados por, literalmente, pés de chinelo, com bonézão, camiseta falsa de time de baseball americano ou de time de futebol nacional - internacional também, são falsas mesmo.
De onde sai o dinheiro?
Melhor não saber, mas, infelizmente imagino. Afinal, eles não tem estudo, eles mal sabem escrever e se portar para ter um emprego que dê essas condições a eles.
Vivo numa grande favela. Muitas das casas são iguais as dos clipes dos Racionais mesmo: casas de bloco, de laje ou telha de cimento, sem pintura ou barracos mesmo, tudo desproporcional e desorganizado, desordem, feio, sujo, muita sujeira na rua, muitos animais abandonados - que já disse o quanto me indigna isso. Tudo abandonado, menos os carros que fazem trânsito a todo momento.
Lembro de uma vez ter visto uma entrevista com o Netinho de Paula quando a Astrid Fontenelle tinha um programa na MTV chamado "Pé na Cozinha", ele disse que o povo na cohab (e é o mesmo "público") "não tem muito o que fazer, não tem perspectiva e vai fazendo filho". Exatamente!
Vejo a todo momento as famosas "piriguetes", na verdade, parece que a vizinhança inteira é piriguete. Há uma desvalorização muito grande das mulheres que aqui vivem: a maioria anda de shortinho, microssaia e miniblusa. Muitas não tem corpo pra isso, mas parecem que tem a obrigação de chamar a atenção, precisam ter um homem do lado a qualquer custo (e custa mesmo: a maioria quer engravidar pra não trabalhar e viver de pensão - eu sei porque já ouvi isso da boca delas no trem e na cabeleireira).
Nenhuma pensa em estudar, dar é mais fácil, parece o caminho mais rápido para ter uma "vida estabilizada".
Elas sempre andam juntas, na maior parte das vezes em duas. A dupla sempre sai com roupas curtas, na grande maioria das vezes de braços dados, olhando para todos os lados e sorrindo para todos os homens. Se algum mexe, riem e continuam olhando para eles e rebolando mais enquanto andam ou empinando os peitos praticamente pulando da pequena blusa totalmente decotada.
Além daquele piercing no umbigo comprido, ultra de mal gosto, bem vulgar, tô sendo simpática...
Muitas vezes eu falo "não consigo ver diferença nelas e nas prostitutas, acho que as prostitutas devem se vestir melhor ou pelo menos o homem sabe que vai ter que pagar, enquanto elas, o susto do pagamento é por, pelo menos, 24 anos".
Um dia desses umas discutiam no ônibus a questão da pensão, com os filhos pequenos do lado, uma menina mais esperta, com uns 9 anos, repetia o que elas diziam, já estava ficando inteirada de até quando o pai teria que pagar e que ela deveria fazer faculdade para receber até os 24. Isso se ela não engravidar antes para construir seu próprio "pé de meia".
Parece que estou sendo muito ruim ou muito preconceituosa, mas é isso que vejo todos os dias ao meu redor. E se não ouvisse eu mesma essas questões, eu não acreditaria.

Agora me veio à cabeça um "15 minutos" em que o Adnet fala da favela, que as moças andam com a roupa dez números abaixo do ideal para o tamanho delas e concordei com cada ponto que ele dizia: eu vejo isso acontecer, era real o que ele falava!

Um dia, passando de carro com uma tia e prima que moram na zl, mas no que muitos consideram o "paraíso da zl", o tatuapé, passamos perto de um lugar que foi uma das danceterias que ferveram no final da década passada, início dessa - hoje, frequentada por alunos meus - minha prima viu a roupa das meninas e ficou escandalizada e eu: "ah, elas vão assim pra escola..." ela e minha tia ficaram impressionadas com as roupas hiper curtas e vulgares.
Por isso falei da falta de valorização dessas meninas: quem não se valoriza espera viver de pensão. É também um grande comodismo, que como eu disse passa de mãe pra filha: fui criada assim, assim serei. Dificilmente quebram esse ciclo. Passam olhando para todos: pedreiro, mecânico... (não que sejam profissões ruins, cada um ganha dinheiro como pode, são honestos, mais honestos que os da roupa falsa e o carro caro...) . O que quero dizer é que vale tudo, até se for "avião", tá valendo!
Um dia estava na fila do cartório, os rapazes do cartório andam arrumados, com roupas sociais e havia umas três moças com a mãe na fila. Elas olhavam pra eles e riam, estavam ouriçadas, esses eram bons partidos. Tentavam chamar a atenção, conversavam alto, riam pra eles, tentavam mostrar mais o corpo do que já mostravam. E percebi que eles olhavam com indiferença. Eles estavam um degrau acima dos manos ou se faziam de difíceis para elas?

Falando nos manos, se acham os espertões com suas roupas de camelô falsificadas. Todo mundo anda de Adidas! Adidas virou marca de pobre! Adidas é comunista: todo mundo usa rss

Ficam o dia todo pra cima e pra baixo - como eu disse e como elas fazem.
Todo dia, pra cima e pra baixo, pra cima e pra baixo e com carro caro. Com som potente ou com moto das boas. Porque tem as piriguetes que adoram moto!
O som é sempre infernal, passam com o som tão alto que as portas e janelas de casa tremem e isso não é exagero! Treme mesmo! Devem estar surdos, ou quase lá... tudo isso para mostrar o som - o som que vão levar pra Praia Grande depois rs
Claro, sempre tocando funk! Não há dúvida! Se não for funk vai ser axé. Depois vem o pagode nessa lista e depois o sertanojo.Nunca será Chico Buarque rss E eu nunca ouvi um Rolling Stones que seja, nem um Nirvaninha! Um Creed que seja! rs
Ouvem também muito rap!

por hoje, paro aqui rss
Mas com uma última observação que é muito real, daquela comunidade do orkut: piriguete não tem frio!
Realmente, super frio e elas "peladas" pela rua... blusa de frio e short ou calça e blusa super decotada...
e claro, o inevitável bom gosto de andar de chinelo plataforma rs

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Antes só do que quase desacompanhada

Ainda não fechei o blog, acho que essa será a último postagem aberta... vamos lá...
(se não entendeu, leia o post abaixo)

Essa semana todo mundo, ou uma boa parte, deve andar só falando do dia dos namorados.
Já fiz posts falando mal, desdenhando (e querendo comprar), me fiz de desentendida e acho que até alegrinha, talvez...

Só que depois do ano passado, realmente, eu prefiro estar sozinha sexta-feira! É quase como um alívio depois do fiasco de 2008...

Imagine você com seu namorado sem trabalho e torcendo pelas inúmeras oportunidades que possam vir pra ele, dinheiro nunca foi o que queria do meu ex, mas pra muita coisa ele ajuda e muito! (o dinheiro, claro).
Não estava preocupada em ganhar presente, até dizia que o maior presente era o moço em questão.
Todo aquele apoio, toda aquela esperança de que essa fase difícil dele passasse e pudéssemos aproveitar num momento breve.
Ele estava num bico nessa semana - há um ano - não poderíamos nos ver porque ele trabalharia muito, tanto no dia "D" como no fim de semana. Tudo bem! Ele estaria trabalhando e isso eu sabia e aliviaria muita coisa na vida dele - pagar contas, por exemplo.
Receber um torpedo de felicidades pelo dia, foi bonitinho, mas esperar que ele, longe, aparecesse pelo menos no msn para conversar, dar um alô, era o que eu mais queria.
Esperei, esperei e esperei... e nada de ele aparecer... resolvi ligar, ele estava longe, mas com um celular à mão!
Dez horas da noite e ligo.
A voz de alguém que dormia atende, o "próprio" estava num sono ferrado... mal entendia quem estava ligando pra ele e acho que até hoje não entendeu por que eu ligava naquele momento.
Fiquei triste... um balde de água gelada foi jogado na minha cabeça... ele podia estar cansado, tinha trabalhado pra caramba, mas ter ido dormir sem falar comigo? Isso foi desanimador...
Se há pior lembrança que essa, prefiro não ter!
Estar sozinha, depois dessa, é ótimo!

Alguns dias depois, eu disse que não tinha espaço na vida dele e ele ficou surpreendido por essas palavras, argumentou, disse que não, imagina! de jeito nenhum! de onde eu tirava essa ideia? Para três meses depois deixar um recado no msn (que eu queria tanto que ele tivesse falado comigo meses antes) quando eu não estava e terminou comigo.
Sim, ali, num recado jogado num ciber-espaço a minha espera, que quando li, só pude pensar "que covarde! por que não disse isso há tempos quando perguntei? não era mais fácil?"

Não, era mais fácil ir dormir e deixar eu esperando uma palavra por três meses, pra dizer: "eu não tô nem aí, fui dormir, mesmo!"

E continue dormindo sozinho!
Bons sonhos com suas musas do cinema, música e esporte, ela não precisam mesmo passar por isso!
Felizes delas!
E feliz de mim que não terei que passar por outra desse tipo esse ano.


**
Aí eu me pergunto...
Por que raios ele queria me seguir no twitter?
Porque não me "seguiu" muito antes?
Agora, block nele!

domingo, 7 de junho de 2009

Stalkers! Good bye!

Amigos, quem quiser continuar lendo meu blog só poderá fazer isso me enviando um email para que eu mande um convite e abra para vocês o conteúdo.

Cansei de gente sem escrúpulos lendo tudo isso aqui e gente que nunca fez por merecer minha atenção e agora quer saber da minha vida...

fuck you, stalkers!

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Viajar é preciso - parte 2 e 3

antes que passe mais ainda o tempo rss

parte 2

Estive também em uma cidade do interior do estado, Araraquara, passei quase duas semanas por lá.
Não há nada de muito especial por lá, além de Mário de Andrade ter escrito Macunaíma em sua fazenda naquelas bandas, do Zé Celso Martinez ser de lá, além do ??? que fala sempre das famosas coxinhas de Bueno de Andrade (distrito de Araraquara).
Especial para mim é só por ser a cidade onde minha mãe nasceu e permaneceu até mais ou menos os 25 anos. Cansada de trabalhar na cana-de-açúcar, resolver vir para a capital tentar algo melhor, as fábricas recrutavam todo dia gente para trabalhar, todo dia tinha vaga... (que tempo diferente, hein?)
Já contei a história da minha mãe faz tempo por aqui...
A cidade além da cana, vive também de uma empresa que faz suco de laranja. Há a USP e a Unesp por lá, o que também traz benefícios para a cidade.
Durante o tempo que estive lá, percebi que o cheiro da cana queimada ou do que fazem com ela depois, tem um aroma particularmente fedorento! Parece algo como xixi de gato no ar... outras horas parece que o esgoto não funciona bem... eles chamam de "vinhoto" ou "garapão" esse fedor...
Também tem o cheiro enjoado da Cutrale (a tal empresa de suco), um cheiro de laranja nauseante para quem não está acostumado...
Às vezes acho que não conseguiria viver no interior pela falta de opções - principalmente de cinema... mas seria muito mais pelo calor... eu odeio o verão e no interior do estado é muito pior!
Conheci Ribeirão Preto também, dessa vez, que é próximo, 1 hora mais ou menos, e não vi nada demais na cidade... Todo mundo em Araraquara fala de Ribeirão como se fosse o Eldorado...
Só por conta de dois shoppings - um me lembrou o Ibirapuera e o outro o Aricanduva - ou talvez pela USP de lá que tem um campus que fiquei encantada: era uma antiga fazenda e preservaram as "colônias" e toda a parte estrutural, tornaram o lugar peculiar e com um jardim lindo... adoraria ter estudado lá.
Fui novamente a Bueno Comer as famosas coxinhas, agora o lugar está muito fashion, perdeu a graça: tem filas enormes para se comprar, não há lugar vago na pracinha pra comer. Fizeram até um salão para as pessoas comerem... Tem de vários sabores agora (com catupiry, quatro queijos, bacalhau...).
Perdeu aquele ar "bucólico" de lugarzinho pitoresco... virou celebridade... mas a coxinha continua muito boa e enorme!


parte 3
Depois ainda fui para a cidade de Santos que eu não conhecia e tenho que ser sincera: agora sim! Praia Grande Nunca Mais!!!
Não é aquele bando de findomundópolis que vai pra praia com as caixas de som do lado de fora do carro - lembram quando contei isso?
Não é aquela muvuca sem lugar para sentar na praia, andar, aquela multidão que desce e vai se estressar na praia com muito trânsito e fila no mercado, na padaria... etc.
Santos é uma cidade pra valer, tem tudo que se precisa e não se fica "encurralado" dentro de um apartamento sem o que fazer, você tem o que ver e fazer.
Como o aquário da cidade que é muito legal!
Gostei de lá, continuo não entrando na água - além de molhar os pés - a água não é azul, isso dá tristeza, mas pelo menos é um lugar cheio de opções e que findomundópolis e sua sujeira e má educação passam longe!

sábado, 30 de maio de 2009

Jogo rápido e venenoso

Assisti ao show do Andrea Bocelli no Museu Paulista (vulgo Museu do Ipiranga) quer dizer, no Parque da Independência, eu, um amigo e a mãe dele.
Chegamos lá e era uma senhora muvuca, algo do tamanho da morte do Iatolá Komeini (só eu lembro dele aqui? rss), tudo porque foi falado na tv, ou vocês acham que a maioria que estava lá iria porque é grande fã de ópera?
Depois tive a certeza, chamaram ao palco a Sangalinha e o povo foi a loucura, entendi tudo, sabiam que iam ver aquele lixo que se diz cantora...
Quando a anunciaram disse ao meu amigo: tô indo embora agora!
O povo ao meu redor me olhou feio, umas tontas com cara de axéxu fanáticas...
Não sai do meu posto, se saisse dali que tinha uma boa visão, elas pegariam pra ver a musa do galinheiro delas... não sai, de propósito! sou má? nada!
sou péssima!
Todo mundo felicinho porque disseram que ela está grávida.
Problema dela, não meu!
Depois vai fazer como a versão genérica dela que levou o bebê pra turnê pra exibir, a criança ficou doente e vai ela exibir o bebê no hospital... me poupem...

Ela não sabia nem a música do Roberto Carlos que ia cantar, foi olhar o papel pra ver a letra certa... que interessante! Vai cantar num show sério e nem sabe uma música fácil dessas em português! Imagina se ela sabe algo de italiano, apesar de fazer gracinhas fingindo traduzir e os bobos alegres fãs da lixeira riam e se divertiam... aff... estragou tudo! final dos piores!
Coitado do Andrea... não merecia isso...

Show do Oasis no Anhembi
Outro fiasco, apesar de ter ouvido as músicas que gosto muito, mas não todas que amo.
Achei um show totalmente parado, sem emoção com poucos momentos realmente vibrantes.
Assisti ao show de uns caras marrentos cansados...
Liam nem tinha voz...
Tudo muito de má vontade...
Fora a distância absurda da banda - com a separação da pista vip...

Valeu rever os amigos antes do show, durante e depois.
Ouvir algumas coisas legais e ter visto o Liam cantando do jeito peculiar dele... mas só...
Acho que o show do Radiohead deve estar influenciando a minha crítica... mas os Gallaghers foram médio... pra quem nunca tinha visto o show deles, tá bom... nem pretendo assistir show nenhum deles...

Top 5 dos shows que ainda quero ver e nunca vi:

Manic Street Preachers
Snow Patrol
Morrissey
Foo Fighters
The Cure (eles ainda existem? rs)

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Cair na real

Há coisa de mais ou menos um mês (no máximo dois), estava eu explicando a uma turma do primeiro ano do Ensino Médio este poema:

X. Mar Português

Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena?
Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas foi nele que espelhou o céu.

(Fernando Pessoa)

Eu teria que explicar com outro poema - depois - Alphonsus de Guimaraens (o famosíssimo poema da Ismália) sobre a diferença do mar visto nos dois poemas, além de falar da expansão marítima portuguesa (o que isso tem com aula de português? tudo a ver! como a língua portuguesa chegou aqui? hein?) no poema do Pessoa.
Bem, claro que eu continuo com a minha ironia e sarcasmo sempre muito presentes... acho que vocês teriam curiosidade de ver uma aula minha... rss

Em dado momento, comento que muitos não voltaram (deixaram mães, filhos e noivas esperando) ou porque morreram ou porque se interessaram em viver em outro canto da terra, quem sabe se encantaram por uma hindu ou uma africana?
E disse que eu não confiaria em homem nenhum, nem no meu pai - o que é verdade - e claro, poderiam ter deixado a noiva esperando pro resto da vida e arrumado outra na África, Ásia ou Ámerica... e eu que não coloco minha mão no fogo por nenhum!
Uma aluna se indignou comigo (dou aula pra ela desde a quinta série) e disse: "todo homem, não, professora!".

A menina em questão estava toda feliz com o primeiro namorado, entendi o lado dela, o da ingenuidade da vida que agora desabrocha, todo mundo é bom, tudo é lindo, romântico, a vida é feita de sonho...
Cheia de fotos no caderno do namorado, não se cansava em dizer o quanto ele era maravilhoso e ficava feliz de fazer 3 meses de namoro, contava os dias, relembrava o comecinho do se gostar pras amigas e tudo isso eu entendo como é, a euforia, a alegria de estar com alguém. Estar apaixonada.
Bem, só pensei que ela era muito nova pra entender o que eu queria dizer e esperava do fundo do coração que ela não viesse a sofrer nenhuma decepção.

Hoje, chego na sala, primeira aula. Ela, toda vermelha com os olhos inchados de tanto chorar com as amigas do lado. E elas viram pra mim e dizem:
"Adivinha, professora" e eu: "terminou?"
Ela só acena que sim com a cabeça, chorando com as amigas. Fiz uma cara de estar chateada por ela.
Mesmo com todos os meus afazeres em sala de aula, fiquei prestando a atenção nela, na tristeza, no rasgar as fotografias, no não parar de olhar o celular esperando uma mensagem...
E a amiga do lado dela falando do quanto o namorado dela é maravilhoso, contando historinhas... e perguntando pra ela: "por que será que ele não responde suas mensagens?" e a menina só deu um movimento de ombros querendo dizer "sei lá".
A amiga tinha um sorriso escandaloso nos lábios... fiquei pensando "isso que é amiga..."
Queria ter falado com ela no final da aula, mas a cada momento ela estava com uma outra amiga que a abraçava ou falava alguma coisa sobre o que fazer...

Só pensava em dizer a ela: espero que vocês voltem, se não voltarem, um dia perceberá que foi melhor assim, na hora, a gente nunca se liga disso... ou não quer aceitar... o importante e o difícil é que a inocência se foi...

Não que todos os homens são canalhas, mas que as pessoas são falíveis, somos humanos, né? Cheios de erros e defeitos... e que a gente aprende muito com a dor, aprende a perder a ingenuidade, a cair na real e perceber melhor o mundo que vivemos, que ele não é como a novelinha de aborrescente da tarde ou como os filminhos felizes para sempre.
É muito mais complicado que isso uma relação amorosa...
E que não é fácil, mas não impossível.
O importante é não sonhar demais e se frustrar depois... e guardar a experiência...
Como diria Pessoa: tudo vale a pena se a alma não é pequena!

É quase como um rito de passagem, não?

Preferiria que ninguém passasse por essas coisas, por mais que reclame da escola eu me apego pra caramba a essas "crianças", são quase como minhas, me preocupo mesmo...
E torço pela felicidade deles... acabei de me lembrar, de novo, daquela cena do Kevin Arnold e o pai dele...



sábado, 23 de maio de 2009

Como diria Sir Paul McCartney: Live and let die!

Tem coisas na vida que se tornam muito divertidas, por exemplo, ler Harry Potter!
Quando eu ia esperar que acabaria gostando tanto dos livros?
E até percebendo as mudanças dos personagens, através do fator idade e o amadurecimento dos personagens através dos acontecimentos da trama...
A impressão que tenho é como se estivesse lendo as aventuras de alguém que conheço bem já... é bem engraçado isso. E a curiosidade por terminar os livros me consome!
Ainda estou na Ordem da Fênix - tive que parar para fechar notas, corrigir trabalhos... - mas já passei bastante da metade!
E pensar que esse já é o terceiro livro da saga esse ano que leio! Tô muito rápida e viciada!

Além de viciada em séries... vixi... agora que aprendi a baixar torrent... sai debaixo! rss

Outra coisa é ser ofendida e levar na boa, na esportiva, sem ligar tanto, só ficar um pouco chateada de saber quais são as pessoas com quem andei compartilhando minha amizade pura e inocentemente e não merecem nem o pão que o diabo amassou, no final das contas. Mas nem isso me tirou do sério, só fez com que eu colocasse a cabeça no lugar: tem pessoas que realmente nunca irão crescer e não adianta você ser legal, vão sempre abusar da sua bondade. Irresponsáveis e covardes não crescem! Só dão dores de cabeça que eu não quero ter!
Então, o que fazer?
Chorar de raiva?
Não!
Deixar pra lá...
Estou aprendendo que não adianta mesmo. Que o importante sempre será o que eu faço e o quanto tenho a consciência tranquila, isso é o importante.
Os outros?
Eles que se preocupem com eles mesmos! Ora!

Até na escola e em casa estou ignorando os problemas!
Ignorando eu quero dizer: não me contagiando com eles!
Talvez porque eu esteja focada numa idéia (quando vou tirar esse acento? adooooro acento!) e se essa ideia vingar mesmo, logo saberão ;)
Quando me foco em uma determinada coisa isso sempre me ajuda muito, mas acho que estou muito mais equilibrada, atenta e consciente do que estou fazendo.

Parece que realmente consegui armar um escudo pra me proteger contra todo tipo de coisa ruim... espero continuar forte com meu Patrono rsss
Aquela história de "Expectro Patronum" funciona que é uma beleza!
Obrigada, Harry James Potter! (e J.K. Rowling rs)

terça-feira, 19 de maio de 2009

Poeminho do Contra

Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão...
Eu passarinho!

(Mário Quintana - Prosa e Verso, 1978)

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Winston Smith versus Ingsoc

Você já se imaginou como uma espécie de Winston Smith lutando contra o Ingsoc?

Percebendo que tudo está sendo manipulado e que querem te controlar também? Além de saber que está sendo vigiado?
Quer dizer... vigiado e controlado é quase a mesma coisa, não? Afinal, fazem parte da mesma coisa doentia: o poder...

Sabe qual a sensação?

Estranha... mas vencerei o Grande Irmão!

segunda-feira, 11 de maio de 2009

"No matter what happens now/ I won't be afraid/ Because I know today has been the most perfect day I've ever seen"

Era o show esperado por todos, por mim, espero por 15 anos, desde o dia que ouvi, em 1994 e foi meu primeiro hino ao fracasso amoroso.
Como poderia dar tão certo?
Como poderiam surgir os "creeps" depois dessa música? Eu devo ter sido a primeira.
Chorei muito ouvindo essa música, sofrendo dramaticamente (coisas de quem ainda estava saindo da adolescência, mas parecia não querer sair...) por um cara que tinha namorada e não a deixaria pra ficar comigo, a melhor amiga - dureza - Creep era a minha salvação. Era o meu consolo, saber que mais alguém consegui exprimir o que eu sentia em música.

Comprei meu ingresso no primeiro dia de venda, o medo de perder o show dos meus sonhos seria um pesadelo rs
Aguardei pelos nomes que também tocariam no evento.
Estava preparada para que o Radiohead não tocasse todas as queria ouvir, afinal, eram cds de mais e nenhum show no Brasil pra contornar essa carência de ouvir todas essas faixas ao vivo. Só que o pior foi quando soube do Losermanos... aí foi dose...
Mas não falaremos dos inomináveis, falemos de coisas boas!

Esquenta e Aqueles que não se deve nomear
Um dia depois do meu niver, que presente pra mim!
Ainda encontrei com amigos e dividi meu bolo de niver com eles, uma forma de fazer um "esquenta Radiohead", minha prima que ia comigo estava preocupada, os amigos dela queriam chegar cedo pra pegarem bons lugares, deixei que ela fosse na frente. Não ia chegar cedo e aturar vocês-sabem-quem, não, não queria ouvir nem falar naquelas coisas...
Batemos um bom papo no shopping, comemos bolo e fomos tranquilamente pegar o bus pro show - no Terminal Bandeira - o ônibus que estava saindo estava abarrotado de gente, esperamos outro, éramos quase primeiros da fila pro próximo bus, pra que se estressar?
Minha prima me ligava perguntando onde eu estava, preocupada de não nos encontrarmos e marcamos um "bat-local" pra saida.
Chegamos na Chácara do Jóquei e a entrada ainda era longe... em outra rua... mas escutávamos de lá Voldemort e seus aceclas rss
E eu pensando "tomara que quando eu chegar lá dentro já tenha acabado essa merda!!"
Infelizmente não foi assim, daí resolvi fazer meu protesto e "assistir" ao show de costas. Fiquei de costas quase o show todo - ou o que restava do show que pra mim foi torturante, pareciam dias intermináveis - tirei fotos com os amigos, tirei fotos minhas, xinguei um monte e queria ver algum daqueles fãzinhos que mais pareciam emos virem tirar satisfação comigo. Será que fã de losermanos é emo?
Pelo menos pareciam com aqueles cabelos e seus montes de pares de all star... umas meninas pareciam chapadas cantando, pulavam como loucas, pareciam em transe, gritavam as músicas como se estivessem num Festival da Canção de 1968. ah! é ! eles pensam que são Chico... só se for ficar de chico rss
Achei os fãs deles a coisa mais bizarra que já tinha visto na vida (e olha que já vi tanta coisa na vida...), pareciam bandos de tresloucados metidos a intelectuais, parecia que todo mundo ali morava na Vila Madalena e não fazia nada o dia todo (o que deveria ser mesmo verdade) e papai paga as contas do psicanalista e a escolinha cara de violão.
Papai também vai pagar o médico do pulmão quando ele se estourar de tanto cigarro e baseado e congêneres?
Achei um bando de ridículos!! Como a banda que eles amam! Público e banda casam certinho! Casamento perfeito!

Ainda eles tocavam e resolvemos tentar achar minha prima, claro que não ia achar mesmo, mas o Pésio usou isso de desculpa para nos infiltrarmos nas trincheiras inimigas enquanto eu passava e gritava "acaba logo, porcaria!"
Fomos até onde conseguimos, sabíamos que os fãs doentes, tietes histéricas por barbas iriam embora assim que a festinha hippie de boutique deles acabasse. Dito e feito!
Fomos mais ainda pra frente!
E eu vi estupefada umas meninas (se elas não estavam chapadas, eram realmente doentes mentais...), elas falavam entre si: "Gente! acabou! eles estão indo embora!!! Acabou mesmo!!!". E se olhavam com caras de espanto, de sofrimento, como se Deus tivesse as largado no purgatório naquele momento... como se estivessem saindo de um transe... é, os hipnotizadores de pseudo-intelectuais tinham ido e o surto tinha acabado... precisariam de uma nova dose pra viver, quem sabe no Sesc Pinheiros... com um bom baseadinho, disfarçado no cigarro de canela... quem sabe na Sociais lá na USP se fingindo de comunistas que vão embora de Hiundai pra casa...

Kraftwerk
Já tinha visto alguns clipes dos tiozinhos na MTV, nada que me chamasse a atenção. Só que o show deles foi muito diferente: aqueles quatro senhores em seus "laptops" que todo mundo dizia ao meu redor: estão conversando no msn, escrevendo recados no orkut! Orkut não! Facebook, Myspace! Me surpreenderam, principalmente com o tanto de gente ao meu lado cantando as músicas deles...
Os efeitos dos telões eram o mais legal!
De se encher os olhos e uma das músicas me chamou a atenção por saber que o Franz Ferdinand "roubou" o comecinho deles... ou um pouco da melodia...
só que eu só ia ficando mais ansiosa e não via a hora daqueles senhores terminarem com o show...
Ainda mais com um cara muito louco, com a camiseta do Radiohead feito turbante e barbudo, parecia Osama bin Laden meio indiano...
Ele enrolava seu baseado e um casal apareceu pra conferir o negócio, não era bem um casal, era um casal de momento talvez, sei que ela tirou foto dos dois e dela fumando baseado, foto do baseado... pelo sotaque era do interior, típica mocinha de família interiorana cheia da grana que paga as vontades de virgenzinha pura (pra eles, claro)... sim... aquela que fumava um senhor baseado (talvez com sentido fálico, quem sabe? rss) e que pra conseguir o seu despachou o rapaz que estava com ela e deixou o Osama dar umas paqueradas nela. Coitado, não conseguiu nada, ela, em compensação, conseguiu: seu baseadinho e uma historinha pra contar pras amiguinhas que não sabem como é o povo de São Paulo (e muito menos a amiguinha do interior).
Aquele fedor de maconha era o pior, insuportável... já estava me imaginando, outra vez, ficando chapada passivamente... como na escola...

Finalmente eles!
Demorou para montarem o palco, tudo diferente com aqueles cristais e toda aquela parafernália, homens que subiam ao teto do palco para organizarem tudo. Perfeccionismo, cores estavam por vir.
Apagam-se as luzes e... a plateia explode!
O primeiro que consigo visualizar no meio da gritaria e loucura do público foi Ed O'Brien, ver Ed foi como um sonho: ele estava ali, o mais lindo deles (eheheeh) do meu lado, iria tocar o show inteiro do lado que tive a sorte de ir.
Vi Thom Yorke a seguir e pensei comigo "p*ta que pariu! é ele mesmo!!! é de verdade! é real!ele está ali no palco e eu estou vendo-os de perto!!"
Todo mundo pulando muito e começam com "15 Step". Quando tocaram There There não teve jeito de não me empolgar e perceber que todo mundo estava empolgadaço!Uma menina ao lado pula segurando na minha mão rss isso foi muito engraçado rs ela se segurava pra pular e aí olhei pra ela, ela olhou e percebeu, tipo "o que eu estou fazendo?" rss

Pra mim, o primeiro grande momento, depois do comecinho, foi com Karma Police! Como eu cantei/gritei a plenos pulmões!
Parecia que todos ali estavam hipnotizados... íamos acompanhando a voz de Thom Yorke e eu admirando a todos no palco, vendo o Johnny tocando com os cabelos na guitarra, daquele jeito costumeiro... Ed O'Brien um colírio, Thom magnífico, espetacular ver aquele cara feinho com voz dos deuses...
Aquele palco era impressionante... o telão, as imagens atrás do palco que davam um toque todo especial, mostrando ângulos dos rapazes tocando... valeu cada centavinho!
O engraçado é que ao vivo eu gostei muito mais das músicas do Kid A e Amnesiac, até quando os ouvi pra me esquentar pro show eu também curti! Parece que eu precisava de maturidade pra entender essa fase do Radiohead... o Pérsio também disse isso na sua "resenha" sobre o show...
Fiquei ansiosamente esperando pelo final, queria que repetissem o que fizeram no Rio: Creep!
E foi maravilhoso ouví-la depois de tantos anos, lembrar que a primeira música deles, foi a primeira que ouvi e que marcou uma fase da minha vida, uma fase realmente "creep"...
Foi fantástico, fazia tempo que não ficava me espremendo num show pra assistir mais de perto...
Cara, eu vi o Radiohead! A ficha ainda não caiu!

Setlist:
15 Step - There There - The National Anthem - All I Need - Pyramid Song - Karma Police - Nude - Weird Fishes/Arpeggi - The Gloaming - Talk Show Host - Optimistic - Faust Arp - Jigsaw Falling Into Place - Idioteque - Climbing Up The Walls - Exit Music (For A Film) - Bodysnatchers. Bis 1: Videotape - Paranoid Android - Fake Plastic Trees - Lucky - Reckoner.Bis 2: House of Cards - You and Whose Army - Everything In Its Right Place. Bis 3: Creep

sexta-feira, 8 de maio de 2009

This life is lived in perfect symmetry


Não estava tão empolgada a ir ao show do Keane, mal sabia se ia ou não, meio que resolvi de última hora. Ainda havia ingressos para meia entrada e decidi ir com minha amiga Jac. Gostava de algumas músicas deles, ouvia sempre o novo cd e achei que seria legal assistir ao show, gosto das músicas deles, acho-os bem talentosos. E mal tinha ideia (ai, me acostumar com ideia sem acento tá difícil!!!) do sucesso e tanto de fãs que eles têm por aqui.Como ouço muito pouco rádio, não sabia que as músicas deles são hits, pra mim são hits do meu pc e aparelho de som em casa, ou entre meus amigos fãs de britrock/pop.Cheguei no Credicard Hall já era quase 18:30 h, a fila era gigante.
Lembrei que há quase 9 anos assisti ao Blur ali e nunca mais estive novamente por lá - todos os demais shows que fui, foram em outros locais. Não lembrava a lonjura que é o Credicard, saio de um fim do mundo e fui pra outro... sai de casa não eram nem quatro da tarde...Encontrei Jac e Bruno quase primeiros da fila - tinham chegado por volta do meio-dia... e havia uma grande briga entre fãs.Dois fãs clubes que são rivais, fãs que vieram de outros locais - como
Curitiba - e chegaram bem cedo brigavam.Brigavam porque o fã clube queria passar seus "associados" na frente, claro, quem veio de van de tão longe e chegou cedo não ia aceitar e
gritavam "fã clube, vai tomar no c*!"Vi aquela loucura e fiquei com medo de apanhar, eu só peguei meu ingresso com a Jac e me mandei pro final da fila, eu? encrenca com
aquele povo todo histérico? Nem pensar!Sentei lá no final, que logo deixou de ser final da fila, e fiquei esperando... pensando que depois teria que dar um jeito de encontrar o
povo no final, ainda bem que existe celular!

O famoso chato da fila
Na minha frente uma menina ouvia seu i-pod e na frente dela um cara exibido - o que tinha de gordura era pouco pra exibição da figura - falava em alemão ao celular (nem sempre é bom existir celular rs). Não sei se fazia aquilo só pra se exibir, afinal, falar inglês, mais da metade ali sabia um pouco, vamos se diferentes, né? Vamos pra língua da Nina Haagen!Logo uma amiga do fulano chegou e aí começou o gorducho a falar em plenos pulmões de milhões de shows que foi, de milhões de músicas e o mais lindo de tudo, a breguice da música que ele tinha no celular como
"ringtone": Careless Whispers do Whah!, aquela mesma que o George Michael finge que gosta de mulher no clipe e o Eli Correia usava no rádio como comercial do hidratante Monange por anos a fio...Será que ele queria que ligassem do motel pra ele? rss Acho difícil alguma mulher aturar cara tão exibido... deve ser um grande carente afetivo... não sei como essa amiga o aturava... ela ouvia as babaquices dele e ficava com um sorriso meio amarelo... Porque eu estou mais do que acostumada a "exibido da fila de show" sempre tem um panaca que acha que é a única pessoa da face da terra que foi a shows...
O cara era insuportavelmente chato! E falava alto! Daí começou a imitar meus alunos (e eu que achava que só funkeiro/cohabeiro fazia isso): deixava o celular tocando com as musiquinhas pra ficar contando história de cada uma delas pra amiga...A amiga fazia o mesmo e ainda falou, que tonta!, que tinha música até de Sandjunior no celular... O que eles faziam ali?Acho que eram duas baleias que encalharam ali no começo da marginal e resolveram assistir ao show...A menina do i-pod ficava nervosa, não conseguia ouvir seus sons, os rapazes atrás de mim, riam do cara, falando do tipo "que cara babaca! coitado, só em fila de show se realiza!"O mais difícil de esperar mesmo era isso... fora ele dizer que já tinha ido até em show de axexu e sertanojo - é o típico arroz de festa (com muitas calorias) facinho e que ninguém quer...Se existir um campeonato de babacas, acho que ele ganha de rei momo!Ele superou todos os que já ouvi em filas, um porre! E de whisky paraguaio!

Entrada
Até todo aquele mundo de gente entrar, demorou... e eu continuava a aturar o chato-rei. Quando entrei, tinha desencanado de pegar um bom lugar, imagina, tanta gente na minha frente. Fiquei tranquila, fui ao banheiro, guardei minhas coisas na chapelaria e aí fui pra pista que olhei com encanto e corri: um canto sobrando perto da grade, do lado esquerdo do palco! Eu iria ver o Keane de perto, mesmo que de lado!Acredito que o pessoal não tenha ficado tanto por ali, porque é a entrada dos deficientes físicos. Há um lugar para eles e depois a nossa grade, ou seja, dá um pouco mais de distância do palco, mas pra quem achou que ia ter que pular o show todo pra ver algo, estava maravilhoso aquele local!Agarrei ali pra ninguém me tomar o lugar, ainda fui comprar um coca, mãe e filha do meu lado guardaram o lugar, também guardei pra elas
comprarem cerveja. E ficamos ali, pertinho do palco, esperando. Tentava procurar Jac e Bruno e consegui identificar o Bruno na grade, na frente pro palco, acenava e ele não me via. Ele parecia rezar ali rss com as mãos juntas, agarradas à grade. Até que ele me viu e me mostrou pra Jac, já não estava sozinha, sabia onde ele estavam.

Fresno
A banda de entrada foi o Fresno, disseram ser fãs do Keane, não conheço nada deles, acho que uma música ou outra eu até me lembrei de ter ouvido por aí, mas só.O vocalista dando uma de Tom Chaplin no piano e cantando, foi um vexame, cantou mal pra caramba!Mas tudo bem, fizeram a parte deles, eu sabia que tinha algo pior pra eu aturar dali uns 15 dias: Losermanos na abertura do Radiohead, então, o que era Fresno e seu som aborrecente sem pretensões pra uma bandinha metida a intelectual, salvadora da música brasileira? Melhor ouvir Fresno! Pelo menos são humildes!Tirei fotos da banda pra pôr no orkut, caso algum aluno que fosse fã visse, só pra ficarem com inveja rss (que professora má!)

Expectativa
Quando o rodie colocou um microfone do nosso lado eu pensei "isso vai ser bom!". Afinal, nosso cantinho seria visitado!Um casal do meu lado, tenta me roubar o lugar, com quem foram mexer? O namorado ficou do meu lado e a namorada do outro, querendo me tirar dali, como eu sou osso duro de roer ela teve que se contentar em ficar na frente do namorado, eu não cedi um milímetro pra ela, se cedesse, ela entraria no meu lugar, eu ficaria entre os dois e o brutamontes-orc
ficaria tampando minha visão - vai esperando! Chegasse cedo! rss

...E eis que entra o Keane e o público entra em delírio!Começam com "The Lovers are Losing" do novo cd que acho liiinda!A presença de palco de Tom Chaplin é vibrante, ele pula, canta, parece
se doar ao pública, canta lindamente, sua voz é tão bela como nos cds... Vai a todos os cantos do palco, nos aplaude, vibra pra que cantemos com eles. Parecem alegres em ver as bexigas coloridas e toda a festa que os fãs prepararam para Tom - que tinha aniversariado no domingo (o show foi numa terça, dia 10/03/09). A banda tocava com muita vontade,animados! Lembrei logo do show do Pearl Jam e a vontade, animação e carisma com que tocaram aqui também.Assim como Ed Vedder, Tom Chaplin também arriscou falar em português, muito bem pronunciado, diga-se de passagem.Parecia muito feliz de estar ali, se era encenação, ele é muito bom ator. Diferente da plateia (também sem acento agora) que estava realmente maluca e lotou o Credicard Hall, olhar para trás e ver o Credicar lotadaço, o pessoal todo em pé cantando e dançando com a banda, foi lindo! Foi emocionante! Incrível! Só tinha visto uma cena assim no primeiro show do U2 aqui!
Ouvir as famosas como Everybody's Changing ou This is the last time foi incrível, mas foi arrepiante ouvir "Atlantic", acho liiiinda!!
Aquele clipe em homenagem ao "sétimo selo" é demais!Tom Chaplin tocou pertinho de mim na parte "acústica" do show, que fofo ele estava!Mas a banda todo merece destaque pelo entusiamo e empenho.
Show memorável!


Setlist:
The Lovers Are Losing, Everybody's Changing, Bend And Break, Nothing In
My, Again & Again, Atlantic, This Is The Last Time, Spiralling, Playing
Along, Try Again, Sunshine, You Haven't Told Me Anything, Leaving So
Soon?, You don't see me, Perfect Symmetry, Somewhere Only We Know,
Crystal Ball, Under Pressure (do Queen), Is It Any Wonder? e Bedshaped

Pra guardar na memória:
A deficiente não aguentou ficar sentada assistindo, mesmo com passos vagarosos e difíceis, foi até perto do palco, perto dos seguranças cantar com a banda... fui telespectadora de uma cena memorável... Do quanto a banda é querida por aqui... E fiquei tão sem palavras ao ver
aquela moça fazer um esforço enorme porque o show a contagiou a ponto de fazê-la levantar... Se eu ainda me lembro bem, ela fez isso em "Is it Any Wonder", quase no final do show, acho que ela resistiu ou foi guardando forças para este momento.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Lolito strikes again!

Na sala de aula, ele me perguntando sobre algum exercício e outras duas meninas por perto.
Uma das meninas:

Loirinho! Loirinho! Nooossa! Como ele é sério! dá risada!

E ele sério. A menina tentando brincar com ele...
E eu:

Acho que você vai ter que fazer mais que isso rss

Ela: Só se eu fizer cócegas nele, prof!

E ele sai sem graça.

É, Lolito chamando a atenção, mas não se importando, ele é muito moleque, parece que ainda não entendeu que tem que se deixar mostrar pras meninas rss
Depois ele ria, entre os amigos, no clube do bolinha da sala. Muito meninão...


Hoje, na sala dos professores, ele veio entregar um trabalho, a professora para a qual ele entregaria, não veio. E eu disse isso a ele.
As outras professoras perto de mim comentam:

- Nooossa! Que menino bonito!

- É mesmo, né?

Lolito balançando corações rs